segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Integrar a animação missionária na vida pastoral das dioceses e paróquias



Cerca de 70 pessoas participaram nos dias 09 – 12 de Novembro no Centro Apostólico do Sameiro na Assembleia Anual do ANIMAG. A Assembleia fora programada para que IMAG e ANIMAG, ao participar juntos da mesma sessão de estudo, buscassem uma visão conjunta sobre a missão e a animação missionária. Mas, pelos seus compromissos apenas alguns membros do IMAG (provinciais) participaram.

O tema central da Assembleia foi o estudo e o aprofundamento de recente Carta Pastoral dos Bispos “Como eu vos fiz, fazei vós também – para um rosto missionário da Igreja em Portugal”, que visa dar “orientação à Missão em Portugal” e “avivar a vocação missionária de todos os cristãos”.

Dom António Couto, ao apresentar as ideias mestras da Carta, entre vários aspectos insistiu no “como”, no modo, no estilo da missão, seguindo o estilo de Cristo. Não se trata tanto fazer coisas, nem mesmo muitas coisas, mas fazê-las ao jeito de Cristo. O que conta é a atitude, o estilo, “pois tudo se define a partir de Cristo, quanto à origem e à eficácia da missão” (Bento XVI no Porto). A vinculação a Cristo e ao seu estilo são fundamentais. Evidente que o “como” leva a uma conversão pessoal, comunitária e das próprias estruturas da pastoral.

Sublinhou igualmente a necessidade e a urgência da missão, da evangelização. Tudo o que a Igreja é chamada a fazer é “evangelizar”, pois essa “constitui a graça e a vocação própria da Igreja, a sua identidade mais profunda” (EN 14). Acolher Cristo, o Evangelho, e tal acolhimento é cheio de consequências humanas, sociais e económicas.

Outro aspecto sublinhado foi o papel e o lugar dos leigos na missão e na evangelização. Eles são a energia nuclear do cristianismo e ou os leigos se comprometem e evangelizam ou então não teremos mesmo a evangelização. E a evangelização é um acto comunitário e não obra de franco atiradores.

O Padre Luis Miguel Figueiredo do clero de Braga falou de uma pastoral renovada com incidências na catequese e na educação da fé, sublinhando que toda a pastoral, imitando a caridade de Cristo, Bom Pastor, é missionária.

O Padre Manuel Augusto, dos Padres Combonianos, em sua apresentação falou da articulação entre as igrejas locais, sujeito da missão, e os institutos missionários. Propus uma presença renovada dos institutos missionários em Portugal. Uma presença com mais sentido de igreja local, voltada mais para o Kérigma e para a vivência do carisma, que como fermento está ao serviço da igreja local. Insistiu na necessidade de maior sinergia e colaboração entre os institutos missionários e destes com as igrejas locais, com acções mais finalizadas e articuladas para que as dioceses e paróquias pouco a pouco adquiram um rosto missionário.

Uma das acções em programação para ajudar a igreja portuguesa a ser mais missionária é a exposição missionária que os institutos missionários, em diálogo com o Santuário de Fátima, está a programar para os espaços do Santuário. É vontade, tanto do Santuário como do IMAG e ANIMAG que no próximo em Maio 2011 esteja já a funcionar. A Assembleia foi igualmente um momento de grande união, comunhão e diálogo de todos dos institutos missionários, que nos ajuda a caminhar juntos e unidos.
António Farias

Sem comentários:

Enviar um comentário