sábado, 23 de abril de 2011

Ressuscitou, de verdade, o meu Amor e a minha Esperança!


Senhor, há algo que, como cristão, temos que celebrar com toda a alegria e força: a Tua Ressurreição, porque ela é a nossa esperança total. Não temos maior certeza do que esta: Tu venceste a morte e com a Tua morte Tu venceste as nossas mortes. Esta certeza é o fundamento da nossa vida. Tu não somente venceste a morte física, como venceste a morte do pessimismo, do egoísmo, da violência, da dor. Como nos diz S. João, Tu trouxeste-nos a esperança de “UM CÉU NOVO E UMA TERRA NOVA, onde não haverá mais choro, nem morte, nem luto, nem dor, porque o mundo velho passou”.

“Confia em Deus: ainda o hei-de louvar. Ele é o meu Deus e o meu Salvador.” Sl42


Hoje o mundo fica em silêncio diante de Deus. Deus fez-Se Homem e assumiu toda a nossa realidade, não evitou nem a norte. Os sacrários estão vazios, os discípulos perdidos, dispersos e feridos sem entender nada do que viveram com Jesus durante os 3 anos intensamente partilhados com Ele. Eles sentem que Deus já não tem nada mais para falar, que ficou mudo.
O que seria o mundo sem Deus? Como viveríamos se Deus estivesse longe e nunca tivesse descido à terra? Como seria a vida se Deus nunca tivesse abraçado e entendido o coração humano desde dentro? Como viveríamos se o sofrimento e a dor não tivessem sentido? O que seria se a nossa vida fosse somente um tempo para nascer, existir uns anos e morrer… nascer para depois ser esquecido um dia mais tarde. O que seria se a nossa vida não tivesse sido sonhada por Deus, criada por Ele com amor e para o amor?

quinta-feira, 21 de abril de 2011

É o Senhor!


Ao contemplar a cruz aproximamo-nos de Alguém que por amor quis ficar com o homem para sempre. A cruz não são somente dois paus vazios, uma experiência de angustia que queremos evitar, mas é o lugar do encontro com Jesus. Ele prometeu-nos antes de morrer: “Eu estarei convosco todos os dias até ao fim dos tempos”. Ele escolheu ficar connosco, na realidade em que nos encontramos, seja ela de alegria ou de dor. Por meio da Sua cruz Ele uniu-se totalmente a cada um de nós e, através da Sua ressurreição introduziu-nos na Sua vida.
No entanto, esta experiência nem sempre é instantânea. Na nossa oração é bom poder perguntar-lhe: Meu Deus, o que é que fazes aí? Qual é o sentido da cruz? Como podemos olhar para tanto sofrimento que existe no mundo e nos irmãos com quem vivo? Jesus, frente a tantos desastres naturais, violência… o que é que Tu dizes?
O Papa diz aos jovens na carta que lhes escreve para a Jornada Mundial da Juventude: “Queridos amigos, a cruz muitas vezes mete-nos medo, porque parece que é a negação da vida. Mas a realidade é o contrário. Ela é o “sim” de Deus ao homem, é a expressão máxima do Seu amor e é a fonte de onde emana a vida eterna. De facto, do coração de Jesus, aberto na cruz, brotou a vida divina, que está sempre disponível para quem queira aceitar olhar para o Crucificado. Por isso, quero convidar-vos a acolher a cruz de Jesus, sinal do amor de Deus, como fonte de uma vida nova. Sem Cristo, morto e ressuscitado, não há salvação. Somente Ele pode libertar o mundo do mal e fazer crescer o Reino de justiça, de paz e de amor, ao que todos aspiramos.”

quarta-feira, 20 de abril de 2011

“Tendo amado os seus que estavam neste mundo levou o seu amor até ao extremo”



A Quinta feira Santa é um dia para saborear o amor de Deus, devagar como quem passa cada conta do terço. Somos convidados a saborear o Amor em todas as Suas manifestações, assim ajoelhamo-nos internamente diante de tanto amor: “tendo amado os seus que estavam o mundo levou o seu amor até ao extremo” (Jo 13). Jesus inclusivé no último momento da Sua vida não quis reservar nada para Si. Ele fez-Se Homem como nós, e sendo Homem levou o Seu amor até ao extremo, ensinando-nos a viver como homens. Jesus chegou ao extremo do amor, do serviço, do fazer-se alimento que permanece connosco para sempre, de oferecer-se como sacrifício. Um amor que não foge na noite, nem quando há dor ou quando os seus amigos o abandonam, um amor que permanece.
Hoje, é o dia para saborear este Amor que nos diz: “ desejei ardentemente comer esta Páscoa com vocês, antes de morrer”. Desejei ardentemente mostrar-vos que o meu amor não são palavras, por isso Eu quis selar o Meu amor com a Minha entrega. Desejo que saibam o quanto valorizo as vossas vidas, e quanto desejo que não vivais de qualquer maneira… e por isso, vou até ao fim, até ao sacrifício da Minha vida. Por ti.

domingo, 17 de abril de 2011

«Dificilmente haverá alguém que morra por um justo; por um homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra o seu amor por nós pelo


A semana santa que hoje começa é para todos nós uma grande oportunidade, porque Jesus deseja ardentemente comer esta Páscoa connosco, como fez com os seus discípulos. Depois do caminho feito até Jerusalém, entra na cidade, consciente de que a sua maneira de viver e as suas opções- pela liberdade para denunciar os erros; pelo acolher e amar os pobres, os excluídos e os oprimidos; por apontar para novos caminhos rumo à verdadeira felicidade- o conduziriam à cruz. O caminho de Jesus termina na morte, porque muitas pessoas se sentiram ameaçadas. A lógica do amor encarnado de Deus questiona fortemente as estruturas sociais ,quanto ao modo e ao fim do exercício do poder dando ao homem uma resposta clara :Eu vim ao mundo para servir , não para ser servido. Hoje, estes valores continuam a ser questionados, a verdadeira felicidade está em viver amando e resgatando a dignidade de cada ser humano. Jesus anunciou que quem quisesse ser o primeiro, deveria ser o último, e que os chefes deveriam servir.

domingo, 10 de abril de 2011

«Quem vem a mim ainda que tenha morrido viverá, e quem está vivo viverá eternamente»




Queridos irmãos
Que bom reunirmo-nos novamente para ouvir a Palavra de Jesus neste quinto Domingo da quaresma. Desta feita Jesus convida-nos a entrar em casa, no seio familiar dos seus amigos de Betânia, os três irmãos: Maria, Marta e Lázaro. Esta família encontrava-se num momento de grande sofrimento causado pela doença e morte de Lázaro.

Acompanhemos esta família, sintamo-nos parte, neste caminho de descoberta da vida. Num primeiro momento Marta e Maria mandam avisar Jesus de que o seu irmão se encontra doente. Segundo S. João, Jesus terá tido conhecimento da doença de Lázaro pelas seguintes palavras: Aquele que amas está doente, o teu amigo está doente. Isto demonstra desde logo que uma relação de grande intimidade ligava Jesus a este homem.

domingo, 3 de abril de 2011

Ele foi , lavou-se e regressou a ver. Tu crês no Filho do Homem? (...) Eu creio Senhor!


Esta quarta semana da Quaresma introduz-nos nos sentimentos de Jesus perante a doença e a limitação humana. O Evangelho apresenta- nos o cego de nascimento e a compaixão de Jesus perante a cegueira. Ele vai a caminho de Jerusalém, mas não está centrado no sofrimento que O espera, mas deixa-se tocar pela dor de cada pessoa e comovido cura, ama, resgata, dá vida, devolve a vista. Jesus está preocupado pelos outros, está pensando em ti e em mim e na salvação que necessitamos hoje.
Necessitamos Senhor descobrir a força da Tua Palavra e da Tua mão nos nossos olhos cegos. Senhor como te aproximaste do cego de nascimento comovido pela sua situação, aproxima -te de cada um de nós e toca as cegueiras que não nos deixam reconhecer Teu amor.