domingo, 3 de abril de 2011

Ele foi , lavou-se e regressou a ver. Tu crês no Filho do Homem? (...) Eu creio Senhor!


Esta quarta semana da Quaresma introduz-nos nos sentimentos de Jesus perante a doença e a limitação humana. O Evangelho apresenta- nos o cego de nascimento e a compaixão de Jesus perante a cegueira. Ele vai a caminho de Jerusalém, mas não está centrado no sofrimento que O espera, mas deixa-se tocar pela dor de cada pessoa e comovido cura, ama, resgata, dá vida, devolve a vista. Jesus está preocupado pelos outros, está pensando em ti e em mim e na salvação que necessitamos hoje.
Necessitamos Senhor descobrir a força da Tua Palavra e da Tua mão nos nossos olhos cegos. Senhor como te aproximaste do cego de nascimento comovido pela sua situação, aproxima -te de cada um de nós e toca as cegueiras que não nos deixam reconhecer Teu amor.

Que difícil estar cego, Senhor! Que duro viver sem luz! Que árduo se torna o caminho quando nos falta a claridade da Tua presença! A preocupação de Jesus vai para além da cegueira física, a preocupação real e profunda é pelo que vivemos no nosso interior quando nos falta a Sua luz. Ele deseja que possamos encontrar a luz para a vida.
Uma das características da Quaresma é o hoje da salvação, e nesse hoje queremos caminhar Senhor. O Evangelho não fica no passado, nos acontecimentos que não estão relacionados com a nossa vida; pelo contrário a Palavra de Deus quer tornar-se viva e eficaz, hoje, no que estamos a viver. Na mensagem de quarta feira de cinzas dirigida aos peregrinos o Papa chamou a atenção especialmente a isto: Ao HOJE DA SALVAÇÃO.
“Nas acções litúrgicas, Cristo torna-se presente através da obra do Espírito Santo, esses acontecimentos salvíficos tornam-se actuais. Há uma palavra chave à qual se recorre frequentemente na Liturgia para indicar isto: a Palavra “hoje”, e esta deve entender-se no sentido original , no metafórico. Hoje, Deus revela a sua lei e dá-nos a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, entre a vida e a morte (cfr Dt 30,19); hoje o “Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e acreditai no Evangelho” (Mc 1,15); hoje Cristo morreu no Calvário e ressuscitou de entre os mortos; subiu ao céu e sentou-se à direita do Pai, hoje dá-nos o Espírito Santo , hoje é o tempo favorável. Participar na Liturgia significa então submergir a própria vida no mistério de Cristo, na Sua presença permanente, percorrer um caminho em que entramos na Sua morte e ressurreição para ter a vida.”
Senhor, Tu conheces a nossa cegueira, necessitamos da tua luz. Necessitamos que esse hoje se realize no nosso coração porque Senhor tantas vezes nos cansamos nas tentativas de amar e não ver frutos, outras vezes sem dar-nos conta, centramo-nos na dor que nos impede de ver o sofrimento dos outros. Cegos Senhor estamos, mas procuramos a luz e Te preocupamos a Ti! Senhor vem, cura e faz-nos ver com claridade o teu amor. Que os nossos olhos cegos se possam abrir para contemplar o Teu rosto e a força do Teu amor e ressurreição. Senhor, em determinados momentos da nossa vida sentimo-nos derrotados, a dor e o mal vencem-nos. Esquecemos Senhor a força da Tua ressurreição turvam-se-nos os olhos não recordamos que este caminho acaba na vida, e não na morte, pois o nosso destino final és Tu, e que podemos viver em Teus braços. Com diz um hino da Liturgia das Horas:
“Meus olhos, meus pobres olhos, que acabam de despertar, fizeste-los para ver, não só para chorar. Faz que saiba adivinhar entre as sombras a luz, que nunca me cegue o mal nem esqueça que existes Tu. Que quando chegue a dor, que não sei que chegará, não se me turbe o amor nem se me turbe a paz. Sustém agora minha fé pois quando chegue ao Teu lugar com meus olhos te verei e meu pranto cessará.”
Senhor, dá-nos a Tua luz em cada opção que tenhamos que tomar, que possamos viver o Evangelho, para que como Tu não nos centremos em nós, no nosso sofrimento, senão que levantemos o olhar a tantos irmãos que esperam a manifestação da vida e os sinais de ressurreição, de luz. Que o nosso caminho possa estar iluminado pela Tua presença.
Segunda-feira: ( Jo 4,43-54) ”O homem acreditou na Palavra de Jesus e pôs-se a caminho”. Uma das cegueiras que vivemos é a falta de fé. Este homem do Evangelho ensina-nos que crer em Jesus e confiar que a Sua força é, o que pode transformar a fé em milagre. Senhor, aumenta a nossa fé, que a Tua Palavra seja luz para os nossos passos. Que possamos viver sem colocar em dúvida o Teu poder de realizar maravilhas na vida das pessoas pelas quais te pedimos. Este homem intercede pelo seu filho e Jesus comovo-se e actua. Jesus sabe o que vivemos, conhece a impotência que às vezes tocamos e diz-nos: crê na minha Palavra, Eu actuo e escuto a petição, talvez não como esperas, mas escolho o melhor para as vossas vidas, confia em Mim.

Terça-feira: (Jo 5,1-3a. 5-16) “ Levanta-te, toma a tua enxerga e começa a andar”.

Senhor, hoje a liturgia apresenta-nos uma página preciosa do Evangelho: este homem que esteve 38 anos à espera de ser curado na piscina. Esta situação fala-nos de perseverança, da fé, da esperança. Este homem não se deixou vencer, tentou mil vezes a cura até que Tu chegaste. Jesus, nós às vezes perdemos a esperança e a fé, acabamos por desistir perante as situações que não se resolvem. Dá-nos um coração simples que crê que Tu vais actuar, que não ponhamos limites nem ao tempo nem ao Teu poder. Ajuda-nos a viver nas Tuas mãos e a crer que podemos levantar-nos do que nos faz estar caídos e a caminhar.

Quarta-feira: (Jo 5,17-30) “ Asseguro-vos que chega a hora, e já está aqui, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que ouvirem viverão”.
Senhor, ajuda-nos a ouvir, que tudo o que há no nosso coração de morto pode viver. Jesus continua a pronunciar a Tua voz até que despertemos ao amados que somos por Ti. Dá-nos Senhor um ouvido aberto para que nesta quaresma a Tua voz possa ressoar no nosso interior e possa ressuscitar tudo o que demos por perdido.
Quinta-feira: (Jo 5,31-47) “Como podeis crer vós, que aceitais a gloria uns dos outros e não buscais a gloria que vem do único Deus?”.
Senhor, livra-nos da cegueira de querer ficar bem diante dos outros. Ás vezes perante o que os outros pensam temos medo de perder a imagem, temos momentos em que não nos atrevemos a dizer que acreditamos em Ti, não nos definimos, optamos pelo relativismo. Senhor, limpa-nos o olhar para procurar o verdadeiro bem dos outros e a Tua gloria.
Sexta-feira: (Jo 7,1-2.10.25-30) “ A mim conheceis-me, e sabeis de onde venho. Contudo, eu não venho por minha conta, senão enviado por Aquele que é verdadeiro”.
Jesus, neste momento do Evangelho, sentes a incompreensão de todos, escandalizados porque Tu dizes que és o Filho de Deus. Jesus, ajuda-nos a crer em Ti e a crer que Tu és o Filho de Deus que nos dá a vida.
Sábado: (Jo 7,40-53) “ É da Galileia que vai vir o Messias?”.
Nestes dias, no Evangelho, vemos espelhada a cegueira do povo, dos fariseus perante Ti. Eles não podiam reconhecer que Tu eras o Messias, esperavam outro tipo de Salvador, com força, poder humano. Contudo, Senhor, Tu vens como um Messias humilde, pobre, simples, que tem compaixão, que se aproxima da pobreza. Nós às vezes esperamos outra forma de salvação, pensamos que deves actuar rápido, com poder, destruir o mal, mas és manso e humilde de coração. Livra-nos da cegueira de esperar outra forma de salvação, ajuda-nos a entrar nessa maneira de salvar que tens Tu, onde ninguém fica de fora, porque todos são chamados e recebidos.
Comunidade Missionária Servidores do Evangelho (Coimbra)

Sem comentários:

Enviar um comentário