quarta-feira, 20 de abril de 2011

“Tendo amado os seus que estavam neste mundo levou o seu amor até ao extremo”



A Quinta feira Santa é um dia para saborear o amor de Deus, devagar como quem passa cada conta do terço. Somos convidados a saborear o Amor em todas as Suas manifestações, assim ajoelhamo-nos internamente diante de tanto amor: “tendo amado os seus que estavam o mundo levou o seu amor até ao extremo” (Jo 13). Jesus inclusivé no último momento da Sua vida não quis reservar nada para Si. Ele fez-Se Homem como nós, e sendo Homem levou o Seu amor até ao extremo, ensinando-nos a viver como homens. Jesus chegou ao extremo do amor, do serviço, do fazer-se alimento que permanece connosco para sempre, de oferecer-se como sacrifício. Um amor que não foge na noite, nem quando há dor ou quando os seus amigos o abandonam, um amor que permanece.
Hoje, é o dia para saborear este Amor que nos diz: “ desejei ardentemente comer esta Páscoa com vocês, antes de morrer”. Desejei ardentemente mostrar-vos que o meu amor não são palavras, por isso Eu quis selar o Meu amor com a Minha entrega. Desejo que saibam o quanto valorizo as vossas vidas, e quanto desejo que não vivais de qualquer maneira… e por isso, vou até ao fim, até ao sacrifício da Minha vida. Por ti.

Na carta aos Romanos, S. Paulo diz: “O amor de Deus foi derramado nos nossos corações.” Ele fala-nos da qualidade de amor que está em cada um de nós. Um amor que é oferenda, doação; que tem capacidade para renunciar a tudo, inclusive a sua vida pelo outro; amor gratuito que pode viver ao serviço dos outros, aos seus pés. Esta qualidade de amor já foi derramada em nós, e com Ele podemos aprender a vivê-la.
Jesus, peço-te que o Teu amor penetre e encharque o meu coração, até poder transformá-lo num coração que sente a dor do outro, e que não vive centrado em si mesmo, senão que se abre e cria ambientes de família. Peço-Te, Senhor, aprender a permanecer ao Teu lado, deixando que o rio do Teu Amor vá invadindo todo o meu coração até que nasça, em mim, a alegria profunda do Teu amor imerecido. Que essa alegria, de sentirmo-nos importantes e únicos para Ti, nos leve a não fazer menos com os irmãos do que Tu fazes comigo.
Desperta-me, Jesus, ao Teu amor calado, silencioso que não se impõe. Que possa descobrir que há mais alegria em dar do que em receber.
Diante de Ti, Senhor, que eu possa reconhecer que todos os pequenos gestos de amor vêem de Ti. Por isso, agradeço-Te tudo o que em mim já é entrega, é verdade que ainda falta muito, mas estes “vislumbres de amor” já são a Tua presença no meu coração. É tão grande reconhecer que Tu já estás a amar em mim! E que tenhas podido encontrar no meu coração pequeno e humano um lugar para Te manifestares. Dá-me a força para acreditar que posso amar mais a cada irmão, como Tu.
Comunidade Missionária Servidores do Evangelho (Coimbra)

Sem comentários:

Enviar um comentário