quinta-feira, 21 de abril de 2011

É o Senhor!


Ao contemplar a cruz aproximamo-nos de Alguém que por amor quis ficar com o homem para sempre. A cruz não são somente dois paus vazios, uma experiência de angustia que queremos evitar, mas é o lugar do encontro com Jesus. Ele prometeu-nos antes de morrer: “Eu estarei convosco todos os dias até ao fim dos tempos”. Ele escolheu ficar connosco, na realidade em que nos encontramos, seja ela de alegria ou de dor. Por meio da Sua cruz Ele uniu-se totalmente a cada um de nós e, através da Sua ressurreição introduziu-nos na Sua vida.
No entanto, esta experiência nem sempre é instantânea. Na nossa oração é bom poder perguntar-lhe: Meu Deus, o que é que fazes aí? Qual é o sentido da cruz? Como podemos olhar para tanto sofrimento que existe no mundo e nos irmãos com quem vivo? Jesus, frente a tantos desastres naturais, violência… o que é que Tu dizes?
O Papa diz aos jovens na carta que lhes escreve para a Jornada Mundial da Juventude: “Queridos amigos, a cruz muitas vezes mete-nos medo, porque parece que é a negação da vida. Mas a realidade é o contrário. Ela é o “sim” de Deus ao homem, é a expressão máxima do Seu amor e é a fonte de onde emana a vida eterna. De facto, do coração de Jesus, aberto na cruz, brotou a vida divina, que está sempre disponível para quem queira aceitar olhar para o Crucificado. Por isso, quero convidar-vos a acolher a cruz de Jesus, sinal do amor de Deus, como fonte de uma vida nova. Sem Cristo, morto e ressuscitado, não há salvação. Somente Ele pode libertar o mundo do mal e fazer crescer o Reino de justiça, de paz e de amor, ao que todos aspiramos.”

Sim, meu Deus, a cruz só pode ser vivida desde o amor. Então, o que significa dizer que na cruz encontro a vida? Diante das cruzes com que nos encontramos a nossa primeira reacção é evitá-las. Evitamos o sofrimento do outro quando não nos aproximamos de situações de doença, ou de outras situações onde não sabemos o que dizer.
Olhemos para Cristo até possamos descobrir que na Sua cruz há vida. Jesus, pela fé sabemos que nas dificuldades estamos contigo a construir um mundo novo. Sabemos, também, que tudo o que abraçamos com amor, ainda que suponha dor, não mata o mais genuíno do coração: a capacidade de amar e ser amado. Jesus, na cruz Tu não deixaste de amar, em ti o amor nunca foi derrotado. Tu morreste amando, e convidas-nos a viver e morrer da mesma forma.
S. João diz: “Quem ama não está morto”. Por isso, quando abraçamos e acolhemos as situações de cruz, ainda que experimentemos a morte- dos nossos pensamentos, esquemas- essa experiência leva-nos ao encontro com Jesus.
Que neste dia possamos parar-nos diante da cruz e com Ele abraçar todas as cruzes que encontramos no caminho… e aí possamos descobrir que essa cruz não está vazia, mas está Jesus esperando-me.
Comunidade Missionária Servidores do Evangelho (Coimbra)

Sem comentários:

Enviar um comentário