sábado, 23 de abril de 2011

“Confia em Deus: ainda o hei-de louvar. Ele é o meu Deus e o meu Salvador.” Sl42


Hoje o mundo fica em silêncio diante de Deus. Deus fez-Se Homem e assumiu toda a nossa realidade, não evitou nem a norte. Os sacrários estão vazios, os discípulos perdidos, dispersos e feridos sem entender nada do que viveram com Jesus durante os 3 anos intensamente partilhados com Ele. Eles sentem que Deus já não tem nada mais para falar, que ficou mudo.
O que seria o mundo sem Deus? Como viveríamos se Deus estivesse longe e nunca tivesse descido à terra? Como seria a vida se Deus nunca tivesse abraçado e entendido o coração humano desde dentro? Como viveríamos se o sofrimento e a dor não tivessem sentido? O que seria se a nossa vida fosse somente um tempo para nascer, existir uns anos e morrer… nascer para depois ser esquecido um dia mais tarde. O que seria se a nossa vida não tivesse sido sonhada por Deus, criada por Ele com amor e para o amor?

Parece que o mundo venceu Deus, que a maldade venceu o amor… parece que na nossa vida a tristeza vence, o ódio nos magoa. Parece que Deus está em silêncio e já não actua.
Meu Deus, quantas vezes penso: se a situação que vivo agora não fosse assim! Se eu não reagisse com violência, se eu não perdesse a paciência! Se esta dor passasse rápido! Quantos “se” que lançamos a Deus na nossa oração e, parece que o Céu se fecha, parece que não há resposta, parece que o Céu se cala e não está preocupado com a nossa súplica. No entanto, é no tempo da espera onde se gesta a vida: “Espera em Deus e verás a salvação, tem fé, espera n’Ele”.
Deus trabalho no nosso coração devagar, para que pouco a pouco o coração se vá preparando para a Vida. Por isso, Jesus não foi a correr a Betânia assim que lhe disseram que o seu amigo Lázaro tinha morrido (Jo11). Por isso, o Filho de Deus nasceu como um bebé, fugiu para o Egipto e esperou pacientemente que a Sua hora chegasse. Também, a Igreja tem o seu tempo e pouco a pouco vai entendendo e plasmando os desejos do Seu Mestre e Esposo. A vida de Deus, em nós, vai-se gestando em caminho, e a ressurreição vai-se manifestando no caminho da vida que vamos percorrendo. “Eu sou o caminho…”. Os discípulos caminhavam quando lhes apareceu o Senhor (Lc24). Os discípulos tinham ido pescar (Jo21)… e apareceu-lhes o Senhor.
Senhor, ensina-me a esperar com confiança o Teu momento, ensina-me a acreditar na força da oração, ensina-me a que os tempos de escuridão não são escuros para ti (Sl139)… que são tempos em que se gesta a vida nova que vai nascer, em que se prepara uma vida que brota para a vida eterna. As circunstâncias de hoje não são um “se” (isto não estivesse…), mas são as circunstancias que Deus toma nas Sua mãos e as abençoa são o caminho por onde Deus quer manifestar-Se.
Comunidade Missionária Servidores do Evangelho (Coimbra)

Sem comentários:

Enviar um comentário